Fortalecer e mobilizar pautam I Encontro Intersindical do Vale do Mamanguape

Preparar os(as) trabalhadores(as) para o enfrentamento aos ataques à classe trabalhadora e mobilizar as categorias contra as reformas deram o clima do evento

Escrito por: ascom da CUT-PB • Publicado em: 07/08/2017 - 17:03 • Última modificação: 08/08/2017 - 09:18 Escrito por: ascom da CUT-PB Publicado em: 07/08/2017 - 17:03 Última modificação: 08/08/2017 - 09:18

Emmanuela Nunes

Com o tema “Democracia, manutenção e ampliação de direitos: desafios para o Funcionalismo Público Municipal”, a Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB) participou no último sábado (5), do 1° Encontro Intersindical do Vale do Mamanguape. O evento debateu o grave cenário político, econômico e social instaurado no governo Temer e as perspectivas de enfrentamento e mobilização da classe trabalhadora frente à Reforma da Previdência e diante da recém-aprovada Reforma Trabalhista. O evento foi promovido pelo SINSPMI-PB (Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Itapororoca-PB). A atividade aconteceu no Victory’s Recepções, em Itapororoca.

Na mesa de abertura estiveram presentes: Paulo Marcelo, presidente da CUT-PB, Elisandra de Brito, prefeita de Itapororoca, Senildo Henrique, presidente do Sindicato dos Servidores do Município de Itapororoca (SINSPMI-PB), Wallison Dionísio, vice-prefeito, Elinete Rolim, secretária de Políticas Públicas da CUT/PB, Sebastião dos Santos, secretário do Coletivo de Formação da CUT/PB, Maria das Dores, Secretária de Saúde do Trabalhador na CUT/PB, Cícera Batista, secretária de Comunicação da Confetam, Maiano Vitor, presidente da Federação dos Municipais de Jacaraú e Lúcia Figueiredo, secretária de Comunicação da CUT-PB.

Pela manhã, a programação do evento contou com dois debates: os desafios dos trabalhadores e trabalhadoras no enfrentamento da crise, que foi ministrado pelo professor. Dr° Ivanaldo Leite (UFPB) e em seguida, o advogado e assessor da CUT-PB, Jonathan Oliveira discutiu os impactos das reformas: trabalhista e previdenciária na vida da classe trabalhadora.

A tarde foram realizadas cinco mesas de debate com os temas: os desafios das políticas públicas para o desenvolvimento dos sindicatos municipais de base filiados à CUT; os desafios do movimento sindical cutista para implantação da política nacional de formação da CUT, frente à conjuntura nacional; a saúde do trabalhador: um desafio contemporâneo para as classes trabalhadoras, além de uma mesa sobre “A comunicação enquanto ferramenta importante na luta dos trabalhadores”, que foi apresentada pela secretária de Comunicação da CUT. Na sua fala, ela disse que a comunicação dos trabalhadores só será contra hegemônica a do capital quando ganhar status de política estratégica nas direções das entidades. Lúcia destacou ainda que para isso se tornar concreto se tem que investir recursos, que podem ser obtidos através da formação de consórcio entre os sindicatos e falou na importância de fortalecer o Coletivo de Comunicação da CUT e o Comitê Estadual do Fórum Nacional pela Democratização.

Na mesa de encerramento do evento, o professor Dr° José Artigas,  que apresentou o tema central do evento “Democracia, manutenção e ampliação de direitos: desafios para o Funcionalismo Público Municipal”, fez uma análise de conjuntura e alertou os trabalhadores para a importância da representação sindical dentro das instituições políticas e de poder. Para ele, os desafios para a democracia e a manutenção e ampliação de direitos para o funcionalismo público municipal tem que ser pensado dentro de uma lógica sistêmica da representatividade política.

“A CUT-PB tem que estar nos espaços de disputa política no âmbito institucional. Nós temos que pensar em eleger e articular candidaturas de quem representa os trabalhadores. Temos que levantar a cabeça e perceber que a avalanche passa e temos que estar preparados para o momento em que as oportunidades irão se abrir reconhecendo as dificuldades. A CUT tem tudo para dar uma guinada e preparada para outros passados”, destacou.

O professor apresentou ainda dados positivos em relação ao índice de sindicalização  em especial, aos sindicatos cutistas e ao Partido dos Trabalhadores. “Num momento de precarização, temos prenúncio de mudança com o aumento de sindicalização e o avanço das pesquisas da candidatura de Lula. Avançaremos dependendo do nível de nossa resistência e militância.”

Segundo Senildo Henrique, coordenador do evento e presidente do Sindicato dos Servidores do Município de Itapororoca (SINSPMI-PB), a atividade fortaleceu uma agenda em prol de políticas públicas para os trabalhadores. “Sabemos o quão importante é estarmos munidos de informações e conhecimento para mudarmos a realidade em que nos encontramos, principalmente nesse cenário de ataques aos trabalhadores e à democracia. Tivemos nesse evento, a oportunidade de acompanhar debates valorosos para todos os trabalhadores, que fortalece ainda mais o compromisso com a luta em defesa dos municipais da Regional do Vale do Mamanguape como condição fundamental para a construção da unidade de classe”, avaliou.

De acordo com o presidente Paulo Marcelo, o evento cumpriu com seu objetivo. “Articular e mobilizar a luta da classe trabalhadora em meio a uma conjuntura adversa é extremamente importante, principalmente diante um governo e um congresso corrupto que vem atacando à democracia, acabando com os direitos trabalhistas e privatizando as empresas públicas do país”, explicou.

 

 

Título: Fortalecer e mobilizar pautam I Encontro Intersindical do Vale do Mamanguape, Conteúdo: Com o tema “Democracia, manutenção e ampliação de direitos: desafios para o Funcionalismo Público Municipal”, a Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB) participou no último sábado (5), do 1° Encontro Intersindical do Vale do Mamanguape. O evento debateu o grave cenário político, econômico e social instaurado no governo Temer e as perspectivas de enfrentamento e mobilização da classe trabalhadora frente à Reforma da Previdência e diante da recém-aprovada Reforma Trabalhista. O evento foi promovido pelo SINSPMI-PB (Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Itapororoca-PB). A atividade aconteceu no Victory’s Recepções, em Itapororoca. Na mesa de abertura estiveram presentes: Paulo Marcelo, presidente da CUT-PB, Elisandra de Brito, prefeita de Itapororoca, Senildo Henrique, presidente do Sindicato dos Servidores do Município de Itapororoca (SINSPMI-PB), Wallison Dionísio, vice-prefeito, Elinete Rolim, secretária de Políticas Públicas da CUT/PB, Sebastião dos Santos, secretário do Coletivo de Formação da CUT/PB, Maria das Dores, Secretária de Saúde do Trabalhador na CUT/PB, Cícera Batista, secretária de Comunicação da Confetam, Maiano Vitor, presidente da Federação dos Municipais de Jacaraú e Lúcia Figueiredo, secretária de Comunicação da CUT-PB. Pela manhã, a programação do evento contou com dois debates: os desafios dos trabalhadores e trabalhadoras no enfrentamento da crise, que foi ministrado pelo professor. Dr° Ivanaldo Leite (UFPB) e em seguida, o advogado e assessor da CUT-PB, Jonathan Oliveira discutiu os impactos das reformas: trabalhista e previdenciária na vida da classe trabalhadora. A tarde foram realizadas cinco mesas de debate com os temas: os desafios das políticas públicas para o desenvolvimento dos sindicatos municipais de base filiados à CUT; os desafios do movimento sindical cutista para implantação da política nacional de formação da CUT, frente à conjuntura nacional; a saúde do trabalhador: um desafio contemporâneo para as classes trabalhadoras, além de uma mesa sobre “A comunicação enquanto ferramenta importante na luta dos trabalhadores”, que foi apresentada pela secretária de Comunicação da CUT. Na sua fala, ela disse que a comunicação dos trabalhadores só será contra hegemônica a do capital quando ganhar status de política estratégica nas direções das entidades. Lúcia destacou ainda que para isso se tornar concreto se tem que investir recursos, que podem ser obtidos através da formação de consórcio entre os sindicatos e falou na importância de fortalecer o Coletivo de Comunicação da CUT e o Comitê Estadual do Fórum Nacional pela Democratização. Na mesa de encerramento do evento, o professor Dr° José Artigas,  que apresentou o tema central do evento “Democracia, manutenção e ampliação de direitos: desafios para o Funcionalismo Público Municipal”, fez uma análise de conjuntura e alertou os trabalhadores para a importância da representação sindical dentro das instituições políticas e de poder. Para ele, os desafios para a democracia e a manutenção e ampliação de direitos para o funcionalismo público municipal tem que ser pensado dentro de uma lógica sistêmica da representatividade política. “A CUT-PB tem que estar nos espaços de disputa política no âmbito institucional. Nós temos que pensar em eleger e articular candidaturas de quem representa os trabalhadores. Temos que levantar a cabeça e perceber que a avalanche passa e temos que estar preparados para o momento em que as oportunidades irão se abrir reconhecendo as dificuldades. A CUT tem tudo para dar uma guinada e preparada para outros passados”, destacou. O professor apresentou ainda dados positivos em relação ao índice de sindicalização  em especial, aos sindicatos cutistas e ao Partido dos Trabalhadores. “Num momento de precarização, temos prenúncio de mudança com o aumento de sindicalização e o avanço das pesquisas da candidatura de Lula. Avançaremos dependendo do nível de nossa resistência e militância.” Segundo Senildo Henrique, coordenador do evento e presidente do Sindicato dos Servidores do Município de Itapororoca (SINSPMI-PB), a atividade fortaleceu uma agenda em prol de políticas públicas para os trabalhadores. “Sabemos o quão importante é estarmos munidos de informações e conhecimento para mudarmos a realidade em que nos encontramos, principalmente nesse cenário de ataques aos trabalhadores e à democracia. Tivemos nesse evento, a oportunidade de acompanhar debates valorosos para todos os trabalhadores, que fortalece ainda mais o compromisso com a luta em defesa dos municipais da Regional do Vale do Mamanguape como condição fundamental para a construção da unidade de classe”, avaliou. De acordo com o presidente Paulo Marcelo, o evento cumpriu com seu objetivo. “Articular e mobilizar a luta da classe trabalhadora em meio a uma conjuntura adversa é extremamente importante, principalmente diante um governo e um congresso corrupto que vem atacando à democracia, acabando com os direitos trabalhistas e privatizando as empresas públicas do país”, explicou.    



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.