Frente Brasil Popular - PB realiza primeira mobilização no 62° aniversário da Petrobras

CUT-PB, movimentos sociais e diversas organizações que integram a Frente Brasil Popular - PB fazem protesto dia 3, a partir das 9h no Teatro de Santa Catarina, em Cabedelo.

Escrito por: ascom da CUT PB • Publicado em: 01/10/2015 - 11:30 Escrito por: ascom da CUT PB Publicado em: 01/10/2015 - 11:30

Neste sábado (3), a Frente Brasil Popular-PB realiza uma mobilização em frente ao Teatro Santa Catarina, às 9h. Mais de 1000 pessoas farão uma marcha com destino as imediações do Porto. Segundo os coordenadores da Frente, uma das preocupações do ato é com o pacote de “desinvestimentos” da Petrobras que se baseia em cortes e quebra de repasses para os Portos dos Estados brasileiros.

De acordo com Paulo Marcelo, presidente da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB), o ato também é uma reivindicação pela melhoria do Porto de Cabedelo. “Estamos preocupados com a possibilidade de retirada do Porto de Cabedelo, que é um dos equipamentos responsáveis por gerar importantes divisas para o estado, principalmente para cidade de Cabedelo”, explicou.

Com o tema “Em defesa da Petrobras, da Democracia, do Porto de Cabedelo e de uma nova política econômica”, o ato tem como objetivo defender o patrimônio público nacional e estadual. Segundo Gleyson Melo, da coordenação da Frente, caso a provável retirada das operações seja efetivada, todo o abastecimento de petróleo que chega a Paraíba passará a ser operada pelo Porto de Suape.

Segundo ele, de todos os produtos que entram no quadro de circulação financeira do Porto de Cabedelo, as cargas oriundas do petróleo representam 60% do volume, o que corresponde a uma arrecadação de 30%. Ainda de acordo com ele, a desativação do porto provocaria enormes prejuízos econômicos para a Paraíba e traria como consequência um aumento no valor do combustível, uma vez que aumentaria o frete para trazer o combustível ate aqui, acarretando uma série de demissões dos trabalhadores do ramo.

Para organizar o ato, há várias semanas estão sendo realizadas plenárias públicas com diversos segmentos sociais para definir o roteiro de atividades da mobilização. A manifestação deste sábado acontece simultaneamente em todo o país.

Frente Brasil Popular Paraíba

Dando continuidade as articulações em defesa da Petrobras, da democracia e de uma nova politica econômica, na próxima terça-feira (6) será realizada uma seção especial de lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras, às 14 horas na ALPB.

Convite

A Frente Brasil Popular convida toda comunidade cabedelense para participar desse importante ato, que tem o objetivo de não permitir a diminuição nas receitas do município e do estado com a possível saída da distribuição do gás e a não manutenção do Porto. A luta deve ser pela recuperação do Porto pelo seu valor estratégico e potencial de geração de emprego e sua influência social.

 

Veja abaixo, na íntegra, o Manifesto ao Povo Brasileiro - Frente Brasil Popular:

Vivemos um momento de crise. Crise internacional do capitalismo, crise econômica e política em vários países vizinhos e no Brasil.

Correm graves perigo os direitos e as aspirações fundamentais do povo brasileiro: ao emprego, ao bem-estar social, às liberdades democráticas, à soberania nacional, à integração com os países vizinhos.

Para defender nossos direitos e aspirações, para defender a democracia e outra política econômica, para defender a soberania nacional e a integração regional, para defender transformações profundas em nosso país, criamos, em Conferência Nacional, a Frente Brasil Popular.

Somos milhares de brasileiros e brasileiras de todas as regiões do País. Cidadãos e cidadãs, artistas, intelectuais, religiosos, parlamentares e governantes, assim como integrantes e representantes de movimentos populares, sindicais, de partidos políticos e pastorais, de indígenas e quilombolas, de negros e negras, do movimento LGBTT, das mulheres e da juventude.

Nossos objetivos são:

1- Defender os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras e buscar melhorias nas condições de vida, emprego, salário, aposentadoria, moradia, saúde, educação, terra e transporte público.

Lutamos contra o atual ajuste fiscal e contra todas as medidas que retiram direitos, eliminam empregos, reduzem salários, elevam tarifas de serviços públicos, estimulam a terceirização, ao tempo em que protegem a minoria rica. Defendemos uma política econômica voltada para o desenvolvimento, com distribuição de renda.

Lutamos contra a especulação financeira nacional e internacional, que transfere para uma minoria, por vias legais ou ilegais, por meio da corrupção e de contas bancárias secretas, parte importante da riqueza produzida pelo povo brasileiro.

Lutamos por uma reforma tributária que, por meio de medidas – como o imposto sobre grandes fortunas e a auditoria da dívida – faça os ricos pagarem a conta da crise.

2- Ampliar a democracia e a participação popular nas decisões sobre o presente e o futuro de nosso País.

Lutamos contra o golpismo – parlamentar, judiciário ou midiático – que ameaça a vontade expressa pelo povo nas urnas, as liberdades democráticas e o caráter laico do Estado.

Lutamos por uma reforma política soberana e popular, que fortaleça a participação direta do povo nas decisões políticas do País, garantindo a devida representação dos trabalhadores, negros e mulheres. Por uma reforma política que impeça o sequestro da democracia pelo dinheiro e proíba o financiamento empresarial das campanhas eleitorais.

Lutamos contra a criminalização dos movimentos sociais e da política; contra a corrupção e a partidarização da Justiça; contra a redução da maioridade penal e o extermínio da juventude pobre e negra das periferias; contra o machismo e a homofobia; contra o racismo e a violência, que matam indígenas e quilombolas.

3- Promover reformas estruturais, para construir um projeto nacional de desenvolvimento democrático e popular: reforma do Estado, reforma política, reforma do Poder Judiciário, reforma na segurança pública, com desmilitarização das Polícias Militares; democratização dos meios de comunicação e da cultura; reforma urbana, reforma agrária; consolidação e universalização do Sistema Único de Saúde (SUS); reforma educacional e reforma tributária.

Lutamos pela democratização dos meios de comunicação de massa e pelo fortalecimento das mídias populares, para que o povo tenha acesso à informação plural, tal como exposto na Lei da Mídia Democrática.

4- Defender a soberania nacional. O povo é o dono das riquezas naturais, que não podem ser entregues às transnacionais e seus sócios.

Lutamos em defesa da soberania energética, a começar pelo Pré-Sal. Pela Lei da Partilha, pela Petrobrás, pelo desenvolvimento de Ciência e Tecnologia, pela Engenharia. Enfim, por uma política de industrialização nacional!

Lutamos em defesa da soberania alimentar e em defesa do meio ambiente, sem o qual não haverá futuro.

Lutamos contra as forças do capital internacional, que tentam impedir e reverter a integração latino-americana.

Convidamos a todas e todos que se identificam com essa plataforma a somarem-se na construção da Frente Brasil Popular.

O povo brasileiro sabe que é fácil sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho. Mas sabe, também, que sonho que se sonha junto pode se tornar realidade.

Vamos lutar juntos por nossos sonhos!

Viva a Frente Brasil Popular!

Viva o povo brasileiro!

Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Setembro de 2015.

Frente Brasil Popular

Título: Frente Brasil Popular - PB realiza primeira mobilização no 62° aniversário da Petrobras, Conteúdo: Neste sábado (3), a Frente Brasil Popular-PB realiza uma mobilização em frente ao Teatro Santa Catarina, às 9h. Mais de 1000 pessoas farão uma marcha com destino as imediações do Porto. Segundo os coordenadores da Frente, uma das preocupações do ato é com o pacote de “desinvestimentos” da Petrobras que se baseia em cortes e quebra de repasses para os Portos dos Estados brasileiros. De acordo com Paulo Marcelo, presidente da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB), o ato também é uma reivindicação pela melhoria do Porto de Cabedelo. “Estamos preocupados com a possibilidade de retirada do Porto de Cabedelo, que é um dos equipamentos responsáveis por gerar importantes divisas para o estado, principalmente para cidade de Cabedelo”, explicou. Com o tema “Em defesa da Petrobras, da Democracia, do Porto de Cabedelo e de uma nova política econômica”, o ato tem como objetivo defender o patrimônio público nacional e estadual. Segundo Gleyson Melo, da coordenação da Frente, caso a provável retirada das operações seja efetivada, todo o abastecimento de petróleo que chega a Paraíba passará a ser operada pelo Porto de Suape. Segundo ele, de todos os produtos que entram no quadro de circulação financeira do Porto de Cabedelo, as cargas oriundas do petróleo representam 60% do volume, o que corresponde a uma arrecadação de 30%. Ainda de acordo com ele, a desativação do porto provocaria enormes prejuízos econômicos para a Paraíba e traria como consequência um aumento no valor do combustível, uma vez que aumentaria o frete para trazer o combustível ate aqui, acarretando uma série de demissões dos trabalhadores do ramo. Para organizar o ato, há várias semanas estão sendo realizadas plenárias públicas com diversos segmentos sociais para definir o roteiro de atividades da mobilização. A manifestação deste sábado acontece simultaneamente em todo o país. Frente Brasil Popular Paraíba Dando continuidade as articulações em defesa da Petrobras, da democracia e de uma nova politica econômica, na próxima terça-feira (6) será realizada uma seção especial de lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Petrobras, às 14 horas na ALPB. Convite A Frente Brasil Popular convida toda comunidade cabedelense para participar desse importante ato, que tem o objetivo de não permitir a diminuição nas receitas do município e do estado com a possível saída da distribuição do gás e a não manutenção do Porto. A luta deve ser pela recuperação do Porto pelo seu valor estratégico e potencial de geração de emprego e sua influência social.   Veja abaixo, na íntegra, o Manifesto ao Povo Brasileiro - Frente Brasil Popular: Vivemos um momento de crise. Crise internacional do capitalismo, crise econômica e política em vários países vizinhos e no Brasil. Correm graves perigo os direitos e as aspirações fundamentais do povo brasileiro: ao emprego, ao bem-estar social, às liberdades democráticas, à soberania nacional, à integração com os países vizinhos. Para defender nossos direitos e aspirações, para defender a democracia e outra política econômica, para defender a soberania nacional e a integração regional, para defender transformações profundas em nosso país, criamos, em Conferência Nacional, a Frente Brasil Popular. Somos milhares de brasileiros e brasileiras de todas as regiões do País. Cidadãos e cidadãs, artistas, intelectuais, religiosos, parlamentares e governantes, assim como integrantes e representantes de movimentos populares, sindicais, de partidos políticos e pastorais, de indígenas e quilombolas, de negros e negras, do movimento LGBTT, das mulheres e da juventude. Nossos objetivos são: 1- Defender os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras e buscar melhorias nas condições de vida, emprego, salário, aposentadoria, moradia, saúde, educação, terra e transporte público. Lutamos contra o atual ajuste fiscal e contra todas as medidas que retiram direitos, eliminam empregos, reduzem salários, elevam tarifas de serviços públicos, estimulam a terceirização, ao tempo em que protegem a minoria rica. Defendemos uma política econômica voltada para o desenvolvimento, com distribuição de renda. Lutamos contra a especulação financeira nacional e internacional, que transfere para uma minoria, por vias legais ou ilegais, por meio da corrupção e de contas bancárias secretas, parte importante da riqueza produzida pelo povo brasileiro. Lutamos por uma reforma tributária que, por meio de medidas – como o imposto sobre grandes fortunas e a auditoria da dívida – faça os ricos pagarem a conta da crise. 2- Ampliar a democracia e a participação popular nas decisões sobre o presente e o futuro de nosso País. Lutamos contra o golpismo – parlamentar, judiciário ou midiático – que ameaça a vontade expressa pelo povo nas urnas, as liberdades democráticas e o caráter laico do Estado. Lutamos por uma reforma política soberana e popular, que fortaleça a participação direta do povo nas decisões políticas do País, garantindo a devida representação dos trabalhadores, negros e mulheres. Por uma reforma política que impeça o sequestro da democracia pelo dinheiro e proíba o financiamento empresarial das campanhas eleitorais. Lutamos contra a criminalização dos movimentos sociais e da política; contra a corrupção e a partidarização da Justiça; contra a redução da maioridade penal e o extermínio da juventude pobre e negra das periferias; contra o machismo e a homofobia; contra o racismo e a violência, que matam indígenas e quilombolas. 3- Promover reformas estruturais, para construir um projeto nacional de desenvolvimento democrático e popular: reforma do Estado, reforma política, reforma do Poder Judiciário, reforma na segurança pública, com desmilitarização das Polícias Militares; democratização dos meios de comunicação e da cultura; reforma urbana, reforma agrária; consolidação e universalização do Sistema Único de Saúde (SUS); reforma educacional e reforma tributária. Lutamos pela democratização dos meios de comunicação de massa e pelo fortalecimento das mídias populares, para que o povo tenha acesso à informação plural, tal como exposto na Lei da Mídia Democrática. 4- Defender a soberania nacional. O povo é o dono das riquezas naturais, que não podem ser entregues às transnacionais e seus sócios. Lutamos em defesa da soberania energética, a começar pelo Pré-Sal. Pela Lei da Partilha, pela Petrobrás, pelo desenvolvimento de Ciência e Tecnologia, pela Engenharia. Enfim, por uma política de industrialização nacional! Lutamos em defesa da soberania alimentar e em defesa do meio ambiente, sem o qual não haverá futuro. Lutamos contra as forças do capital internacional, que tentam impedir e reverter a integração latino-americana. Convidamos a todas e todos que se identificam com essa plataforma a somarem-se na construção da Frente Brasil Popular. O povo brasileiro sabe que é fácil sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho. Mas sabe, também, que sonho que se sonha junto pode se tornar realidade. Vamos lutar juntos por nossos sonhos! Viva a Frente Brasil Popular! Viva o povo brasileiro! Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Setembro de 2015. Frente Brasil Popular



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.