Frentes realizam protesto nesta quarta (30) em defesa da democracia e pela redução no preço do gás de cozinha e da gasolina

Protesto terá concentração a partir das 14h, em frente do Centro de Zoonoses, na principal dos Bancários e seguirá em caminhada até o Mercado Público de Mangabeira.

Escrito por: ascom CUT-PB • Publicado em: 29/05/2018 - 21:54 • Última modificação: 29/05/2018 - 22:23 Escrito por: ascom CUT-PB Publicado em: 29/05/2018 - 21:54 Última modificação: 29/05/2018 - 22:23

reprodução

Pela redução do preço do diesel, da gasolina e do gás de cozinha, pela mudança na política de preços, em defesa da Petrobras como empresa pública, pela saída de Pedro Parente da presidência da companhia, por eleições livres, democráticas e por Lula Livre e candidato, a Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB), juntamente com as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizam nesta quarta-feira (30), a partir das 14h, em frente do Centro de Zoonoses, na principal dos Bancários, uma manifestação que seguirá em caminhada até o Mercado Público de Mangabeira.

Para Joel Nascimento, secretário-geral da CUT-PB, o momento é de fortalecer a pauta coletiva de anseios da população que vem sendo sacrificada com os aumentos dos preços. ”Ainda devido a motivação de toda a população que apoiou a greve dos caminhoneiros que tinha uma pauta muito especifica e resumida ao preço do diesel, essa mobilização é muito mais ampla e vai além da defesa de bandeiras essenciais para toda à população.”

“ Diante esse cenário, a população deve lutar não só por direitos e democracia, mas sobretudo contra a carestia que começa a sacrificar as camadas mais vulneráveis, que já sofrem com a impossibilidade de acesso a direitos básico. A população precisa entender a necessidade de manter-se mobilizada em torno dessas bandeiras, que agora, se tornam muito mais amplas e que esse processo de mobilização se intensifique, como uma sistemática, para defender a democracia e para que percebam que ao invés de pedir intervenção militar, a defesa deve ser pela democracia e pelo estado de direito”, destacou Joel.

Para Marcos Freitas, um dos coordenadores da Frente Brasil Popular, a mobilização é extremamente necessária diante a atual conjuntura. “Nossa expectativa é que o ato será bastante participativo e levará a mensagem principal que é lutar contra os abusos de uma política desastrosa como é a do governo golpista de Temer”, explicou.

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Paraíba (PT-PB), Jackson Macedo, destaca que os aumentos consecutivos no preço dos combustíveis e a política do governo Temer tem gerado uma onda de insatisfação generalizada na sociedade brasileira, motivo pelo qual a mobilização denuncia os aumentos abusivos e defende a redução dos preços do gás de cozinha, combustíveis e a democracia.

O deputado estadual Anísio Maia (PT-PB) afirma que o protesto é uma reação do movimento democrático e popular contra alguns setores que pedem a intervenção militar. “Alguns setores se aproveitam do cenário de crise para passar à população uma falsa solução, que apela para uma intervenção militar. Todo mundo que viveu a ditadura, sabe o que é uma. Mas infelizmente nem todos viveram esse tempo. A única saída para o brasil é através da democracia. O povo brasileiro tem que escolher seu caminho e não um tutor de farda. Nós iremos mais uma vez às ruas para mostrar à população que a única via para solucionar é por meio da democracia”, ressaltou.

 

Título: Frentes realizam protesto nesta quarta (30) em defesa da democracia e pela redução no preço do gás de cozinha e da gasolina, Conteúdo: Pela redução do preço do diesel, da gasolina e do gás de cozinha, pela mudança na política de preços, em defesa da Petrobras como empresa pública, pela saída de Pedro Parente da presidência da companhia, por eleições livres, democráticas e por Lula Livre e candidato, a Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB), juntamente com as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizam nesta quarta-feira (30), a partir das 14h, em frente do Centro de Zoonoses, na principal dos Bancários, uma manifestação que seguirá em caminhada até o Mercado Público de Mangabeira. Para Joel Nascimento, secretário-geral da CUT-PB, o momento é de fortalecer a pauta coletiva de anseios da população que vem sendo sacrificada com os aumentos dos preços. ”Ainda devido a motivação de toda a população que apoiou a greve dos caminhoneiros que tinha uma pauta muito especifica e resumida ao preço do diesel, essa mobilização é muito mais ampla e vai além da defesa de bandeiras essenciais para toda à população.” “ Diante esse cenário, a população deve lutar não só por direitos e democracia, mas sobretudo contra a carestia que começa a sacrificar as camadas mais vulneráveis, que já sofrem com a impossibilidade de acesso a direitos básico. A população precisa entender a necessidade de manter-se mobilizada em torno dessas bandeiras, que agora, se tornam muito mais amplas e que esse processo de mobilização se intensifique, como uma sistemática, para defender a democracia e para que percebam que ao invés de pedir intervenção militar, a defesa deve ser pela democracia e pelo estado de direito”, destacou Joel. Para Marcos Freitas, um dos coordenadores da Frente Brasil Popular, a mobilização é extremamente necessária diante a atual conjuntura. “Nossa expectativa é que o ato será bastante participativo e levará a mensagem principal que é lutar contra os abusos de uma política desastrosa como é a do governo golpista de Temer”, explicou. O presidente do Partido dos Trabalhadores da Paraíba (PT-PB), Jackson Macedo, destaca que os aumentos consecutivos no preço dos combustíveis e a política do governo Temer tem gerado uma onda de insatisfação generalizada na sociedade brasileira, motivo pelo qual a mobilização denuncia os aumentos abusivos e defende a redução dos preços do gás de cozinha, combustíveis e a democracia. O deputado estadual Anísio Maia (PT-PB) afirma que o protesto é uma reação do movimento democrático e popular contra alguns setores que pedem a intervenção militar. “Alguns setores se aproveitam do cenário de crise para passar à população uma falsa solução, que apela para uma intervenção militar. Todo mundo que viveu a ditadura, sabe o que é uma. Mas infelizmente nem todos viveram esse tempo. A única saída para o brasil é através da democracia. O povo brasileiro tem que escolher seu caminho e não um tutor de farda. Nós iremos mais uma vez às ruas para mostrar à população que a única via para solucionar é por meio da democracia”, ressaltou.  



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.