Paraíba protesta contra PEC 55, Reforma da Previdência e do Ensino Médio em Dia Nacional de Luta pelo Fora Temer e Diretas Já 

Escrito por: Emmanuela Nunes, ascom da CUT-PB • Publicado em: 14/12/2016 - 12:11 Escrito por: Emmanuela Nunes, ascom da CUT-PB Publicado em: 14/12/2016 - 12:11

Emmanuela Nunes, ascom da CUT-PB

Nesta terça-feira, 13 de dezembro,  data em que há 48 anos a ditadura militar instaurou o Ato-Institucional nº 5,  acabando com os direitos e a liberdade do povo brasileiro, a CUT-PB, juntamente com a Frente Brasil Popular, Frente Povo sem Medo, os movimentos estudantis de ocupação e os servidores em greve das universidades públicas realizaram um Ato Político contra a PEC 55, a Reforma da Previdência e do Ensino Médio no Dia Nacional de Luta pelo Fora Temer e Diretas Já. 

O  protesto teve início no Liceu Paraibano, de onde saiu uma caminhada por várias ruas da capital, passando no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), onde foram feitas falas de repúdio. O ato de protesto foi encerrando com uma ciranda em frente à Assembleia legislativa. Os  estudantes dos movimentos de ocupação seguiram para o Ministério da Fazenda, na Epitácio Pessoa, onde permanecem em ocupação a instituição. 

Apesar de todo protesto e sendo reprovada pela maioria da população - cerca de 80%, segundo pesquisa CUT/Vox Populi, a PEC 55, conhecida como PEC da Morte, foi aprovada nesse dia também sombrio  para o povo brasileiro, com larga maioria, com um placar de 53 votos a favor a 16 contra. 

De acordo com o secretário – geral da CUT, Joel Nascimento, os próximos passos do golpe, que são as reformas da Previdência, do Ensino Médio, Trabalhista e Sindical dão cabo de destruir todo e qualquer direito que o trabalhador um dia pôde conquistar. “Com a desculpa de economizar, o governo vai justificando a extinção de políticas sociais, retirando direitos básicos da população como saúde e educação para poder pagar banqueiros e empresários. Essa agenda destruidora irá causar um dos piores cenários que o povo brasileiro já vivenciou”, alertou. 

No Manifesto publicado essa semana pelos servidores das universidades públicas da Paraíba, a PEC 55 foi denunciada. “A proposta de congelar por 20 anos os investimentos primários do Estado brasileiro prejudica a garantia das políticas sociais e, consequentemente, os direitos que atendem minimamente o conjunto de necessidades sociais da população do país.” 

No mesmo dia, protestos contra a PEC55 também foram realizados na cidade de Cajazeiras, onde servidores estão sem receber há meses.

 

 

Título: Paraíba protesta contra PEC 55, Reforma da Previdência e do Ensino Médio em Dia Nacional de Luta pelo Fora Temer e Diretas Já , Conteúdo: Nesta terça-feira, 13 de dezembro,  data em que há 48 anos a ditadura militar instaurou o Ato-Institucional nº 5,  acabando com os direitos e a liberdade do povo brasileiro, a CUT-PB, juntamente com a Frente Brasil Popular, Frente Povo sem Medo, os movimentos estudantis de ocupação e os servidores em greve das universidades públicas realizaram um Ato Político contra a PEC 55, a Reforma da Previdência e do Ensino Médio no Dia Nacional de Luta pelo Fora Temer e Diretas Já.  O  protesto teve início no Liceu Paraibano, de onde saiu uma caminhada por várias ruas da capital, passando no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), onde foram feitas falas de repúdio. O ato de protesto foi encerrando com uma ciranda em frente à Assembleia legislativa. Os  estudantes dos movimentos de ocupação seguiram para o Ministério da Fazenda, na Epitácio Pessoa, onde permanecem em ocupação a instituição.  Apesar de todo protesto e sendo reprovada pela maioria da população - cerca de 80%, segundo pesquisa CUT/Vox Populi, a PEC 55, conhecida como PEC da Morte, foi aprovada nesse dia também sombrio  para o povo brasileiro, com larga maioria, com um placar de 53 votos a favor a 16 contra.  De acordo com o secretário – geral da CUT, Joel Nascimento, os próximos passos do golpe, que são as reformas da Previdência, do Ensino Médio, Trabalhista e Sindical dão cabo de destruir todo e qualquer direito que o trabalhador um dia pôde conquistar. “Com a desculpa de economizar, o governo vai justificando a extinção de políticas sociais, retirando direitos básicos da população como saúde e educação para poder pagar banqueiros e empresários. Essa agenda destruidora irá causar um dos piores cenários que o povo brasileiro já vivenciou”, alertou.  No Manifesto publicado essa semana pelos servidores das universidades públicas da Paraíba, a PEC 55 foi denunciada. “A proposta de congelar por 20 anos os investimentos primários do Estado brasileiro prejudica a garantia das políticas sociais e, consequentemente, os direitos que atendem minimamente o conjunto de necessidades sociais da população do país.”  No mesmo dia, protestos contra a PEC55 também foram realizados na cidade de Cajazeiras, onde servidores estão sem receber há meses.    



Informativo CUT PB

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.